Morre "Seu Luiz": morador de rua cujos cães fizeram vigília em porta de hospital em 2019

Atualizado: Mar 8

Aida Franco de Lima – Professora universitária. Dr.ª e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Jornalista e Especialista em Educação Patrimonial (UEPG - PR); Guia Especializada em Atrativos Turísticos Naturais (SENAC - EMBRATUR);Técnica em Vestuário (CEEP - PR); escritora (Série: Guardador de Palavras da Gabi).


A cena foi replicada milhares de vezes nas mais diversas mídias do Brasil e exterior (Foto: Divulgação)


Atualização: A causa da morte de 'Seu Luiz' foi câncer na garganta, ficou 32 dias no hospital. Os cães estão protegidos.

Rádio CBN Maringá reporta essa história aqui narrada, com entrevista minha.




Fazia tempo que me perguntava por onde andava o morador de rua "Seu Luiz". Lembram dele? Em janeiro de 2019 foi notícia no Brasil e em outros países, porque naquele dia 02, ele precisou ser levado ao Pronto Socorro de Cianorte - PR, em virtude de um princípio de AVC e os 06 cachorros que lhe acompanhavam não arredaram as patas do local. Um gesto de amor que emocionou milhares de pessoas, que foi repercutido por incontáveis posts e matérias nos mais diversos veículos.


Desde o início da pandemia eu sempre passava nas proximidades da descida da Praça Raposo Tavares, ali no primeiro semáforo da Avenida Paraná, sentido Avenida Espírito Santo, e olhava para o barzinho da esquina para ver se a matilha de cachorros e alguns sacos de plástico estavam por ali. Se estivessem, logo avistaria Seu Luiz, sentado, solitário ou não, tomando algo que não sei o que era... Estava ensaiando para perguntar a uma pessoa incrível, que ama os animais e de longe e ao mesmo tempo perto, (como outros 'anjos' anônimos) cuidava tanto dele como dos cães. Mas não deu tempo. Hoje, mais uma vez, quando abro minha rede social, estava lá a notícia. Seu Luiz não resistiu a um câncer. Não tenho muito mais detalhes, sobre o ocorrido, mas precisava registrar sua partida...


Deixo aqui o texto que sua cunhada postou, na íntegra, na noite desse último dia 03. E deixo também, meu muito obrigada, pois a seu jeito, demonstrou seu amor aos animais. Hoje não tem mais porta para esperá-lo. A espera acabou. Os cães não vão saber, só vão sentir. Pois os animais têm por quem lhes dá o mínimo de atenção, o amor para a vida inteira. Quanto ao paradeiro dos animais, assim que possível atualizo aqui.


"Hoje Deus recebe no céu um homem simples com um coração puro e inocente que resolveu morar na rua depois que sua mãezinha partiu, nunca quis morar com nenhum parente acho que pra não incomodar ninguém pois colocou isso na cabeça e não tinha quem mudasse isso dele, resolveu viver do seu jeitinho e adotou vários cachorros e amava eles como ninguém, hoje o meu coração partiu e tá doendo até agora quando a atendente do samu me falou que ele com o pouco que tinha ou conseguia comprava marmita para os cachorros ou repartia a sua com eles hoje depois que cheguei do enterro desabei pois me senti tão pequena diante dele as vezes temos um pouquinho e deixamos muitas vezes de ajudar o próximo fiz tudo que podia pra ele mais no fundo sinto que ainda não foi o suficiente mais Deus conhece meu coração que o ser humano seja melhor porque dessa terra não levamos moto, carro, casa, dinheiro na verdade não levamos nada e o pouco que deixamos as vezes vira motivo de briga dessa vida nem a roupa em que vamos ser velados são os outros que escolhem vai com Deus meu cunhado Luiz vc já está com Deus e os anjos obrigado por ser esse exemplo de pessoa humilde ficou uma lição pra muitos que conhecia vc e deveriam ter o mesmo amor que seu coração tinha bondade, humildade e respeito com o próximo, vc me ensinou muito com sua humildade." Celia Rodrigues.

Abaixo, cenas de Seu Luiz, em seu cotidiano. Sempre ladeado de animais. (Fotos: Celia Rodrigues)




Se quiser saber mais de Seu Luiz, leia aqui um texto especial de um jornalista que narra história de anônimos.

2,668 visualizações
banner_anuncie (1).png