Lista de vacinados é essencial e projeto está engavetado na Câmara de Cianorte


Aida Franco de Lima – Professora . Dr.ª e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Jornalista e Especialista em Educação Patrimonial (UEPG - PR); Guia Especializada em Atrativos Turísticos Naturais (SENAC - EMBRATUR);Técnica em Vestuário (CEEP - PR); escritora (Série: Guardador de Palavras da Gabi).



Segunda dose da vacina está sendo aplicada perto na UBS do Setor 04 (Praça Olímpica) (Foto: Aida Franco de Lima)



Atualização: 12:59 - O Vereador Afonso Lima acaba de confirmar que, em conversa há pouco com o presidente da Câmara, Wilson Pedrão, o citado Projeto será colocado em votação na próxima sessão, em 12 de abril.


A relevância da vacinação, além do Projeto de Lei aqui abordado, também levou à formulação da indicação 421, do vereador Vantuir Carlos da Silva, o Tuíka, que sugere à Secretaria Municipal de Saúde, a priorização dos professores para a vacinação contra à Covid-19. E o requerimento 176, do Vereador Afonso Lima, o mesmo solicita à Secretaria Municipal de Saúde, que informe se todos os profissionais da linha de frente ao combate da Covid-19, incluindo todos os profissionais que atuam na UPA e no Centro de Eventos Carlos Yoshito Mori, já foram vacinados.



Se tivéssemos vacinas suficientes para todos que valorizam a Ciência, não haveria questionamentos sobre quem furou fila ou não para vacinar-se em Cianorte ou no restante do País. Não haveria empresários pagando por fora uma suposta enfermeira para que essa aplicasse suposta vacina contra Covid-19, como a mídia tem repercutido em relação a caso ocorrido em Minas Gerais. Também não haveria pessoas que nem fazem parte do grupo prioritário sendo alvo de investigação e nem mesmo o Ministério Público obrigaria prefeituras a publicarem a lista de vacinados em virtude de denúncias crescentes em benefício de espertalhões fura-filas, como no caso de Manaus e inúmeros outros locais.


Em Cianorte a situação não é diferente. Se há suspeitas de que houve fura-filas, se há questionamentos, a melhor resposta é a transparência das informações. Muito pouco resolve o tal do vacinômetro. Ali são apenas números. A comunidade quer nomes. Quer idades. Quer as funções. Se não há nada para omitir, a transparência apenas dará mais credibilidade a todos os envolvidos, ou seja para toda a comunidade! Afinal, se alguém, de um setor administrativo, empresário ou algum profissional da saúde que não esteja em exercício da profissão, por exemplo, foi beneficiado em detrimento de qualquer outro que tenha prioridade, é algo que precisa ser apurado.


A população quer ver nomes e funções. Apenas números dão margens a boatos. Nomes e funções são fatos e é isso que a comunicação responsável exige.

"VACINÔMETRO avançando em Cianorte! Até esta quarta-feira (31/03) foram vacinados contra a Covid-19 os trabalhadores da linha de frente contra o novo coronavírus e dos centros de atendimento; vacinadores; idosos em instituições de longa permanência e funcionários; trabalhadores de hospitais, serviços de urgência e emergência, clínicas de diálise, serviços de oncologia, Atenção Primária à Saúde, CAPS, laboratórios que realizam testes para o coronavírus, hemocentros, Pronto Atendimento, Vigilância em Saúde, alguns segmentos do serviço privado em saúde, os idosos de 69 anos acima e parte dos idosos de 68 anos. A campanha de imunização terá continuidade assim que o município receber mais doses! " (Legenda do post publicado pela PMC)


No post em que é atualizado o vacinômetro são feitos alguns questionamentos e até esse momento não havia sido dado nenhuma resposta. Claro que nem sempre é possível responder a todas as indagações, mas um assunto tão importante como esse não pode dar margem às dúvidas. Uma listagem dos vacinados estancaria essas 'inquietações'.


ENGAVETADO

No dia 12 de fevereiro de 2021, foi protocolado na Câmara dos Vereadores um Projeto de Lei, assinado pela vereadora Márcia Pereira, que se tivesse sido levado adiante, hoje não estaria escrevendo esse texto. Mas está engavetado. Por qual motivo? O que impede que um Projeto que dá 'nome aos bois' seja divulgado? Não se trata de informação sigilosa que vá expor os vacinados. Como expliquei no início do texto há inúmeras jurisprudências. As pessoas que conheço que foram vacinadas dentro dos critérios técnicos não importam-se que seus dados sejam divulgados. Elas não têm nada a esconder. E você, conhece alguém que por algum motivo, não gostaria de ter seu nome listado? Se a pessoa furou fila ela está interferindo no direito de todos! No meu direito, no seu, no direito do profissional da saúde que está expondo-se e não foi vacinado. Por exemplo, com relação aos dentistas, quando é que todos serão vacinados? Ou eles já foram e 'só' faltam seus auxiliares? Qual é a perspectiva, sendo esse grupo integrante do Grupo Prioritário ? Qual o critério usado para vacinar pessoas de "alguns segmentos do serviço privado em saúde" ?

Sabemos que o Brasil tem experiência em vacinação, que é capaz de vacinar 60 milhões de pessoas em um mês. Mas não temos vacinas suficientes, são doses que de fato valem vidas e nada mais justo que respeitar o direito à vida daqueles que estão nos grupos prioritários, mesmo sabendo a cada dia que o vírus pode ser fatal a qualquer pessoa. É o nosso bem mais precioso que está em risco. Por isso devemos exigir vacinas e transparência!


Projeto protocolado em fevereiro, na Câmara dos Vereadores de Cianorte, está engavetado


Projeto só tem sentido se colocado em prática enquanto for vacinação dos prioritários, do contrário, dará mais motivos para questionar os motivos de a lista não ser divulgada




Campanha do movimento Frente pela Vida defende a ampla vacinação, sem fura-filas

138 visualizações
banner_anuncie (1).png