BN_LOGO-removebg-preview(1).png
200.gif
amazongiftcard.jpg

Guardador de Palavras: dê ouvido às crianças!

Atualizado: Abr 19

Aida Franco de Lima – Professora. Dr.ª e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Jornalista e Especialista em Educação Patrimonial (UEPG - PR); Guia Especializada em Atrativos Turísticos Naturais (SENAC - EMBRATUR);Técnica em Vestuário (CEEP - PR); escritora (Série: Guardador de Palavras da Gabi).




O Guardador de Palavras da Gabi é destaque em reportagem do G1 Noroeste e Meio-Dia Paraná


Prints de reportagem exibidas em comemoração ao Dia Nacional do Livro Infantil, de autoria de Raphael Costa e Roberto Porto



Costumamos guardar imagens e vídeos das crianças com as quais convivemos. Mas e as palavras, em qual lugar da memória e qual o impacto delas nas nossas vidas e na forma como lidamos com as crianças? Qual o tempo que você dedica para escutar as crianças com as quais convive? Você responde a seus questionamentos de modo adequado ou dá uma resposta qualquer para que ela fique 'quietinha'? No Dia Nacional do Livro Infantil, em virtude da data de nascimento de Monteiro Lobato, falo hoje a respeito de um livro que em resumo, nasce do universo de uma criança destinado a adultos: Guardador de Palavras da Gabi. Sou cianortense e Gabi é arcoense, mas costumo dizer que temos dupla cidadania pois aprendemos a amar esses dois estados maravilhosos, Paraná e Minas, que são palcos de muitas narrativas. Vemos o nome de Cianorte e Arcos com esse trabalho, mas que abrange e homenageia as crianças que temos e aquelas que fomos, que independente de território querem coisas únicas, como descobrir o mundo e buscar a felicidade. O design gráfico é de Frederico Moreira e a impressão pela Edição por Demanda.


Observação: todas as fotos são de antes da pandemia da Covid-19, por isso a ausência de máscaras e as aglomerações saudáveis.


Na época que frequentava as aulas de ballet da professora Sarah Coelho, ela aprendeu a importância da dedicação, mesmo que para ser apenas um tijolinho, mas o mais perfeito possível (Foto: Divulgação e arquivo pessoal)


Foi por conta da prática da escuta, do diálogo que escrevo que surgiu a série: O Guardador de Palavras da Gabi. Um retrato de alguns momentos do rico imaginário infantil de uma criança nas diversas cenas do cotidiano, por vários anos de sua infância. O livro tem escrita não linear, ou seja, o leitor escolhe onde deseja iniciar ou terminar a leitura. Ele pode começar a ler de modo aleatório, qualquer página que abrir.