Família de vínculos amigáveis.

Por: Psicóloga Djeyme

Esta semana comemoramos o dia do amigo e por tempos pensei que família era apenas aquela que um dia conhecemos como nossa, de consanguinidade, criadora de laços e embaraços afetivos que no direito romano clássico foi nomeada - família natural.

Aquela cujo você aprende a respeitar e amar como sendo sua base e fundamento.

Constituída no orgulho de seu autógrafo, te referenciando no mundo dos desconhecidos, servindo de exemplo nos bons e maus feitos e dividindo momentos de amor e dor.

Custei a acreditar que existem outros laços familiares, fora a originária e de estreitamento, aquelas a qual encontramos por destino ou escolha, que nos pertencem tanto no amor quanto na dor.

Famílias de vínculos amigáveis, que por muitos anos tive o prazer em conhecer.

Não sabia como também não reconhecia ser chamada de amiga irmã, mesmo que por vezes eu tenha ouvido: "Você é a irmã que escolhi ter" ou "você faz parte da minha família".

Como eu poderia ter outras famílias já que pertencia a minha de sangue que me dava tanto prazer e trabalho.

Hoje sinto familiar ter amigos familiares.

Hoje reconheço que perto e longe sempre tenho uma morada para novas parentelas.

Hoje agradeço a sua presença na ausência da minha.

Hoje sei que familiar não depende de ascendência, linhagem ou genealogia, mas de presença, cordialidade e apego.