EUA USA PARANÁ?


Geopolítica das Vacinas

Após documentos oficiais do HHS (Departamento de Saúde e Serviços Humanos) dos EUA assumirem influências para o Brasil não optar pelas vacinas russas Sputinik V em 2020 durante a gestão Trump, citando contatos diplomáticos na América para proteger os EUA, sem apontar métodos nem os contatos brasileiros envolvidos na influência diplomática, governo federal e o governo do Paraná estão envolvidos em uma desconfortável situação.

As embaixadas do Brasil e dos EUA negam influência sobre compra de Vacinas mesmo com este fato confirmar "diplomacia dos EUA no Brasil contra a vacina Russa".

É público desde Agosto de 2020 que o governo do Estado do Paraná anunciou a intenção de produzir vacinas Sputinik V do laboratório Gamaleya da Rússia e semanas depois as tratativas não se efetivaram.

Seja pelo governo federal do Brasil ou no Estado Paranaense, a influência dos EUA na geopolítica brasileira e em questões internas do Brasil durante a gestão Trump remontam a sincronias da Lava-Jato e agora na compra de Vacinas russas.

Tamanha influência contra uma vacina pioneira com +91% de eficácia em um país que soma quase 300 mil óbitos de covid-19 em um ano, carece de esclarecimentos nos âmbitos diplomáticos, jurídicos e econômicos, pois após o anúncio pioneiro do Paraná em Agosto de 2020 em produzir as Vacinas Suptinik V e renunciar semanas depois sob alegação de insuficiência técnica, um laboratório privado (União Química) fechou contrato de produção da Vacina russa em indústrias do Distrito Federal e São Paulo, não no Paraná...

Pela Vida acima de Tudo e Saúde boa a Todos, a cidadania paranaense e brasileira merece maior transparência e esclarecimentos.

@profsta ♻️ #profsta

Fontes: G1 e Gazeta do Povo

117 visualizações
banner_anuncie (1).png