Em tempos de pandemia, o mapa da fome se espalha no Paraná

Por Paulo Tertulino - Blogueiro


Meu ofício é ficar o dia todo em cima deste teclado. Cada dia fico estupefato com o que vejo. Todos os dias perdemos familiares, amigos e conhecidos vítimas da Covid-19. Nas redes sociais o que mais se vê é luto. O sofrimento é sem precedentes. Familiares nem podem oferecer um velório decente para seus mortos. E agora uma nova pandemia começa bater as portas – a fome. Gente desempregada e mesmo com benefícios sociais não é possível pagar as despesas básicas de uma casa. Aí começa a miserabilidade e ela se espalha como rastilho de pólvora.

Dói ver um vizinho seu ou saber que um amigo vive esta situação. Enquanto a ciência luta para encontrar uma solução sanitária, os governantes de todas as esferas colocam a política para tentar encontrar pelo em casca de ovo. Na minha modesta opinião o primeiro passo é vacinação em massa. Não importa a origem dos imunizantes. E comida. Existe um esforço gigantesco de entidades não governamentais para arrecadar alimentos. Não estão vencendo. As vozes de comando em todas as esferas governamentais precisam unificar o discurso para criar uma campanha humanitária.


13 visualizações
banner_anuncie (1).png