ews-removebg-preview.png
5b6c7583841b95f989bba6e0f2a9e9a4.gif

Com os efeitos da pandemia aumenta índice de miserabilidade em Cianorte

Por Paulo Tertulino - Blogueiro


Importante ressaltar todo o esforço do Poder Público local – Prefeitura e Câmara de Vereadores – para minimizar o problema. Tem ainda movimentos ligados a igrejas e de entidades da sociedade civil organizada empenhadas na arrecadação de alimentos, produtos básicos de higiene e remédios.


Só que a dimensão do problema é gigantesco o que faz as medidas de solução parecer grãos de areia no deserto. O problema não se resume a comida e coisas e tais. A ajuda emergencial em dinheiro é medida paliativa.


Tem o desemprego que cresce de maneira avassaladora. Assim falta dinheiro para pagar aluguel e outras despesas básicas de casa. O resultado disto? Morar na rua!


Ainda não se vê em Cianorte muitas mulheres e crianças nesta terrível situação. Afinal sempre tem um parente, amigo ou vizinho que compadece e proporciona abrigo temporário.


Os homens são os mais afetados. Quem não bebia acaba bebendo. Quem não usava drogas, acaba sendo induzido a isto. Pessoas com pouco estudo acabam tendo dificuldade maior para encontrar emprego informal. Até os “bicos” – serviços ocasionais – tá complicado.


Assim vem aumentado focos de aglomeração masculina em pontos da cidade. A turma que “acampou” próximo do viaduto da Avenida Goiás (foto) logo se percebe que não se trata de andarilho contumaz. Homens fortes que improvisaram um “rancho” para cozinhar. Onde estão dormindo? Vai se saber.


Caberia à Assistência Social averiguar a situação. A Prefeitura tem meios para oferecer abrigo temporário. Oferecer ajuda é o mínimo que se pede. A pessoa não aceitar é um direito constitucional dela.


  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • TikTok
Destaque
NOVA1807 AD3.png

* As matérias e artigos aqui postados não refletem necessariamente a opinião deste veículo de notícias. Sendo de responsabilidade exclusiva de seus autores.