CIANORTE X PIPICO: O DUELO!

Texto de Marco Antônio de Paula Franco


Talvez ninguém saiba deste detalhe, nem mesmo o Cianorte, nem mesmo Pipico.


Mas a verdade é que o destino trouxe de volta o duelo que era para ter sido.


Uma espécie de reprise daquele sucesso: A Volta dos que Não Foram.


Em 2013 o Cianorte cruzou na segunda fase com o Atlético Goianiense, pela Copa do Brasil, depois de eliminar o Grêmio Barueri.


O Dragão tinha um grande time e um artilheiro que fazia muitos gols, e era artilheiro do futebol brasileiro.


O nome dele chamava a atenção, além dos gols, pelo termo estranho, Pipico.


Pipico fazia mais gols na medida que chegava o grande jogo pela Copa do Brasil aqui no Albinão.


A expectativa era grande: quem era Pipico?


Mas, para a surpresa geral o Atlético Goianiense enfrentou e venceu por 3x1, gerando uma grande decepção para o torcedor do Leão que tinha muitas esperanças de vencer aquele jogo, e principalmente destronar Pipico.


Pipico pipocou?


Pipico não veio.


Oito anos depois, eis que o Cianorte bate o Paraná Clube, passa para mesma Segunda Fase da Copa do Brasil e vai enfrentar o Santa Cruz do Recife, com um cara que fez dois gols e deu duas assistências na classificação dos pernambucanos contra o Ypiranga.


O nome dele?


Pipico!


Pipico tem 13 gols em 24 jogos neste ano e média maior do que Grafite e Léo Gamalho, dois dos maiores artilheiros do Cobra Coral em sua história.