BN_LOGO-removebg-preview(1).png
200.gif
amazongiftcard.jpg

Causa polêmica campanha publicitária de conhecida rede Fast Food

Por Paulo Tertulino - Blogueiro


Na verdade a campanha publicitária da rede Burg King teve claro objetivo de apoio a apoiar o movimento LGBTQIA+. É um público que, em geral, tem requinte e bom gosto. Portanto com hábito de consumo qualificado.


A peça publicitária lançada na última quinta-feira, dia 24, intitulada "Como explicar?" onde crianças, ao lado dos seus responsáveis, contam como enxergam os diferentes tipos de relações da atualidade e o que pensam sobre a comunidade LGBTQIA+.


"Eu nunca tive uma madrasta, só quando a mamãe falou pra mim que ela namorava com ela, aí que eu percebi que eu tinha uma madrasta", detalha uma das participantes. "É quando um menino gosta de um menino", responde outro menino.


"Criança precisa ser criança. Deixem-nas em paz. A única preocupação que precisam ter é brincar e se sujar", dizia um internauta. "Parem de problematizar isso. Toda forma de amor é linda", apontava outro.


Sexualidade é um assunto delicado e complexo. Mas até que ponto é salutar envolver crianças nisto? A meu ver cada qual deve descobrir por si só sua preferência sexual. Não precisa de campanha publicitária. Basta a pessoa se assumir e ponto.


A rede de Fast Food não pensou nas crianças. Caso contrário teria feito uma campanha de prevenção da obesidade infantil. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, nos últimos anos, o percentual de crianças obesas vem aumentando e, de acordo com estudos, essa obesidade está relacionada à propaganda de refeições fast food.


Uma campanha educativa neste sentido daria prejuízo, né