ews-removebg-preview.png
5b6c7583841b95f989bba6e0f2a9e9a4.gif

CANDIDATURA DE MORO É SINAL DE DESESPERO

Para preservar seu lugar na história, ex-juiz ensaia uma candidatura que atrapalha o surgimento de nome unificado contra Bolsonaro e Lula.

O retorno de Sergio Moro ao rol de possível candidatos a presidente prova a falta de rumo da direita liberal para 2022. Apostar no ex-juiz e ex-ministro depois de tudo é como um time que aposta no chuveirinho para fazer um gol salvador. Pode dar certo, mas em geral dá errado. É cedo demais para tanto desespero.


Se tivesse deixado a magistratura para ser candidato em 2018, Moro teria chances reais de ser eleito. O espírito do tempo daquela eleição era por um alguém que representasse a antipolítica. Poderia ter sido Moro ou Joaquim Barbosa ou Luciano Huck. Acabou sendo Jair Bolsonaro, a quem Moro primeiro ajudou com decisões nas vésperas da campanha e depois apoiou ao aceitar ser ministro da Justiça. Agora, o seu tempo passou.


Leia mais em: https://veja.abril.com.br/blog/thomas-traumann/candidatura-moro-e-sinal-de-desespero/


  • Whatsapp
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • TikTok
Destaque
193571704_1302887140109724_1950007704887399431_n.jpg

* As matérias e artigos aqui postados não refletem necessariamente a opinião deste veículo de notícias. Sendo de responsabilidade exclusiva de seus autores.