CAI MAIS UMA PARTE DO CINTURÃO VERDE!

Por: Marcio Nolasco - Editor BN

Dia 21 de Setembro é Dia da Árvore. Estamos na Primavera e na maior crise hídrica dos 90 anos do Brasil, com risco de apagão. Por falta de chuvas, porque nossos reservatórios estão abaixo dos níveis, pois as matas que os protegem estão sendo eliminadas. É preciso dar lugar à plantação de grãos, ao gado, aos loteamentos, às avenidas.


Uma parte dos moradores de Cianorte já vivencia a falta de água, o calor desenfreado e posta fotos na internet ostentando o amarelo e branco dos ipês. Mas esses mesmos moradores sentem muita pressa de chegar ao trabalho, ao lazer, médico, escola, compras e mercado. Não podem esperar muito tempo em congestionamento do trecho que corta a mata. Que corta o Cinturão Verde. Então, uma avenida rasgando a mata é mais que necessária, é fundamental, é questão de sobrevivência!


Mas no meio de tudo isso há leis, há regras que não estão sendo respeitadas e o Ministério Público foi acionado, pois alguém tem que defender a floresta!


No dia 24 de agosto, um grupo de moradores questionou o Ministério Público sobre a legalidade da obra, visto que nem todos os documentos necessários foram publicados e não houve Audiência Pública para que a população pudesse opinar. O processo ainda está tramitando, pois o MP requereu documentos à Prefeitura e, posteriormente, ao IAT – Instituto Água e Terra.


Enquanto isso, as obras do local, denominado Makio Sato, tiveram início na área que foi doada ao município por loteadores que, logicamente, vão se beneficiar com a duplicação da avenida. Porém, nessa manhã de segunda-feira, dia 06, já recebemos fotos de árvores cortadas dentro da Unidade de Conservação.


No documento expedido pelo IAT, concedendo a licença para derrubar parte da mata, onde não identificou-se a área nem a quantidade exata de árvores, que vão muito além de 258 unidades citadas, atenta-se para uma única peroba que deverá ser preservada. Mas há mais árvores, além até mesmo de perobas, que estão no local e são protegidas por lei. No mesmo é citado que as mudas de árvores deverão ser recolhidas e climatizadas no viveiro municipal. E isso, visivelmente, não está ocorrendo, não hoje e neste dia 06 de setembro...


O MP deu 5 dias para o IAT e a Prefeitura se manifestar e ainda não teve respostas, porém a pressa de iniciar a obra e derrubar a mata é mais importante e necessário. Não vimos uma equipe técnica no local recolhendo mudas ou observando e cumprindo as exigências legais. Enquanto isso a mata sangra para dar espaço ao progresso e especulação imobiliária.