BN_LOGO-removebg-preview(1).png
200.gif
amazongiftcard.jpg

Brasil na latrina... Acabou a corrupção??

Por: Marcio Nolasco - Gestor de Projetos

Onde acaba o discurso de moralidade e atos pela democracia no Brasil atual!


Vimos ao final desta semana, em 16/07/21 a surpresa maravilhosa que grande maioria de congressistas de "direita" ofertou ao povo brasileiro. Votaram em massa para aprovação da LDO, lei que confirma a aumento das verbas para fundo eleitoral (fundão) aos partidos políticos passando de 2 Bilhões pra 5.7 Bilhões de reais, 3 vezes mais, se já era um rombo gigante nos cofres públicos agora passou a ser uma catástrofe monetária (esse dinheiro sairá do bolso de cada brasileiro para os cofres dos partidos políticos) esse valor pornográfico nós o povo é que iremos assumir para os políticos poderem fazer campanha, muito bem...


O que esta acontecendo nesse meio tempo é que uma série de deputados que antes faziam discurso contra o Fundão, deputados estes que são da base bolsonarista, inclusive o próprio Bolsonaro, todos eles votaram a favor, Carla Zambelli, Bia Kicis, Eduardo Bolsonaro e vários outros.


Agora uma grande parte da população esta revoltada com isso, pois o mínimo que se espera é coerência naquilo que se fala, pois na prática os bolsonaristas pregam uma coisa e fazem outra, vão em massa para as redes sociais e com discursos anti-corrupção e anti-comunismo, mais quando precisam fazer algo prático para mudar alguma coisa, fazem exatamente o contrário daquilo que eles defendem, ou seja pregam "Moral de cueca". Também mentem, como Eduardo Bolsonaro e Carla Zambelli que foram para as Redes Sociais dizer que não votaram quando votaram a favor, apenas para criar atritos na população, esta é a tática bolsonarista.


Partidos políticos (fora os apoiadores do atual governo) como todo o bloco do PT no congresso votaram contra essa LDO, então com a maior "cara de pau" os bolsonaristas falaram que se o PT votou contra é porque é "Bom para o Brasil" e vamos votar a favor!!! Parabéns pela descarga na latrina da moralidade dessa "direita não corrupta".


A grande verdade é que esses políticos que pregam moralidade são na grande maioria (temos alguns que se salvam e são excelentes representantes do povo) mentirosos, populistas e desvirtuam a democracia, pregando o contrário de seus discursos moralistas, e se utilizam das redes sociais para divulgar mentiras.


Vemos atualmente uma série da atos corruptos envolvendo políticos e militares bolsonaristas desde os altos escalões até os mais baixos, prova disto inicia-se no Ministério da Sáude em Brasília (militarizado) e vem até pequenas cidades com atos isolados como Cianorte e outras da região onde policiais que defendem o governo são presos em operações anti-corrupção (Força e Honra). Também a maioria de deputados de direita paranaenses votaram a favor do novo orçamento do fundão para 5.7 bilhões.


Resumindo, o que vemos é que os políticos da ala de direita, os não comunistas como assim se auto intitulam, estão "metendo a mão", desde super faturamento nas vacinas até aprovação da LDO de 5.7 Bilhões, a grande verdade é que estão deixando na privada toda sua fala de defensores da democracia.


Não podemos dizer que estes 5.7 Bilhões é um roubo, pois não é mesmo!!! mais no mínimo em uma situação de pandemia e de uma série de outras prioridades para o povo brasileiro, isso é sim uma grande vergonha nacional e chega a ser uma aberração dos atuais políticos no poder e lideranças do planalto.


Só para lembrar de uma das prioridades deste ano que não tivemos, ou ficou ausente, foi o Senso do Brasil não realizado por falta de verbas, ou seja não temos na atualidade a fotografia social nacional, existe será um interesse de não mostrar a verdade também? isso é APENAS um exemplo, mais dinheiro para campanha política de quase 6 bilhões é fundamental...


Para finalizar minhas conclusões INDIVIDUAIS aqui, deixo as palavras de Eduardo Bolsonaro que votou a favor do fundão de quase 6 bilhões...


"eu votei a favor sim, mais não queria ter votado" - Eduardo Bolsonaro - Deputado Federal.