ews-removebg-preview.png
5b6c7583841b95f989bba6e0f2a9e9a4.gif

Bebiba quente para os dias Frios - Vinho Quente - 10 receitas para você fazer...

Por: Helena Ramon - Correspondente EUA

Conheça sua origem, a receita clássica e outras opções dessa bebida tão tradicional nas festividades juninas do Brasil, além de sua origem...


Você sabe como fazer vinho quente? Se sim, parabéns, pois tem o domínio de uma preparação tão especial aqui no Brasil, especialmente durante as festas juninas, mas que sempre pode ser consumida em dias de frio para esquentar o clima.


Mesmo que você não saiba como preparar, fique tranquilo. Reunimos algumas das principais receitas, das tradicionais às inovadoras e ousadas, para que esse momento seja ainda mais especial para você, sua família e seus amigos.


Além disso, também vamos trazer informações bem interessantes sobre a origem do vinho quente, quais são os locais do mundo em que ele é consumido, porque é tradicional nas festas juninas e muito mais.


Continue conosco para aprender várias coisas que você provavelmente não sabia sobre essa bebida tão deliciosa, aromática e que acompanha momentos tão especiais!


Qual é a origem do vinho quente?

Essa é uma bebida que tradicionalmente consumimos por aqui nas festas de São João, mas ela já vem de muitos anos – na verdade, de séculos.


O vinho quente se originou no século II. Ele foi criado pelos romanos, que esquentavam o vinho para proteger seus corpos contra o gelado inverno.


Como os romanos conquistaram boa parte da Europa ao longo do século seguinte, seu amor pelo vinho quente, conhecido em inglês como mulled wine, foi disseminado por todo o seu império e nas regiões com as quais eles faziam trocas.


Outras informações podem ser vistas no livro “A Treatise on the Arts, Manufactures, Manners, and Institutions of the Greeks and Romans”, datado de 1835, que relata uma preparação bastante similar ao vinho quente, com mel e especiarias.


De acordo com o livro, a preparação recebeu vários nomes no passado, como Mulsum, Rapa, Carenium e Defrutum. Além disso, ele diz que o mulled wine era uma das bebidas favoritas entre os romanos.


Como a popularidade da bebida continuou a crescer durante a Idade Média, os europeus passaram a misturar o vinho aquecido com especiarias, pois acreditavam que isso melhoraria a sua saúde e os protegeria contra doenças.


Eles também usavam ervas e flores como adoçantes naturais para que os vinhos impalatáveis (ou seja, com sabor muito ruim) tivessem um sabor mais agradável.


Com o passar do tempo, o apreço pelo vinho quente esfriou (com o perdão do trocadilho) na maior parte da Europa, exceto na Suécia, onde sua popularidade continuou crescendo.

Claret (vinho do Reno, açúcar, mel e especiarias) e Lutendrank (especiarias variadas, vinho e leite) eram apenas duas das variedades que os monarcas suecos tornaram famosas ao longo dos séculos seguintes.


Em “Fôrma de Cury” (The Forme of Cury), um registro medieval da culinária britânica datado de 1390, também há menções ao vinho quente, consta o seguinte:

“Moer juntos canela, gengibre, galanga, cravo, pimenta, noz-moscada, manjerona, cardamomo e pimenta-da-guiné”.

Isso seria misturado com vinho tinto e açúcar, em uma tradicional (literalmente) receita de vinho quente.


Conforme novas alternativas se desenvolveram ao longo do tempo, livros de receitas começaram a usar o termo glögg para designar essas bebidas, o qual foi mencionado pela primeira vez em 1609.


A próxima grande adaptação veio no século XVIII, quando o cognacs-clögg também começou a se tornar popular.


Na década de 1890, o glögg começou a ser associado ao Natal. Basicamente, todos os vendedores de vinhos no país tinham sua própria receita da bebida para compartilhar.


Com o passar do tempo, os vinhos passaram a ser engarrafados e (muitas dessas garrafas retratavam imagem do Papai Noel no rótulo) começaram a ser distribuídas pela Europa, trazendo de volta à vida o mulled wine graças à festividade.


Nas décadas seguintes, o vinho quente se transformou em um fenômeno global, com países de todo o mundo criando suas próprias combinações. As variações hoje incluem vinhos dos tintos aos brancos, das sangrias aos vinhos do Porto, com variações peculiares de cada país.

Hoje, o vinho quente continua a ser uma tradição de Natal na Europa, junto com sua “irmã”, a sidra quente (mulled cider).


Quais países consomem mais vinho quente atualmente?

O preparo ainda é comum no Reino Unido durante os meses de inverno. Nos países de língua alemã e na região da Alsácia, na França, a bebida também é popular, geralmente servida durante as festas de Natal.


Nos países nórdicos, ainda é consumido o glögg de que comentamos anteriormente, o qual já pode ser encontrado pronto e engarrafado, tanto em versões alcoólicas quanto não-alcoólicas.


Na Croácia, Bósnia e Herzegovina, Montenegro, Eslovênia e Sérvia, o “кувано вино” (algo como “vinho cozido”) é feito com vinho tinto e branco e leva uma combinação de noz-moscada, cravo, canela, açúcar e raspas de laranja, geralmente servido com fatias de laranja ou limão.


Na Bulgária, o “greyano vino” (em tradução livre, “vinho aquecido”) consiste em vinho tinto, mel e pimenta-preta. Em alguns preparos, pode-se adicionar maçãs ou frutas cítricas, como limões e laranjas.


No Chile, há a “candola”, no sul do país, e o “vino navega’o”, no norte. Uma bebida quente feita de vinho tinto, casca de laranja, canela em pau, cravo e açúcar. A bebida é considerada por muitos como sendo apropriada para dias de inverno.


Há vários outros países em que o vinho quente é consumido, como República Checa, Eslováquia, França, Hungria, Itália, Letônia, Lituânia, Moldávia, Romênia, Países Baixos, Macedônia do Norte, Polônia, Portugal e Rússia, com receitas que apresentam peculiaridades em cada um deles.


Por que o vinho quente é consumido durante a festa junina no Brasil?

Acredita-se que isso tenha sido influência dos portugueses.

Na Europa, havia várias festas durante o solstício de verão, que marcavam o início das colheitas. Durante este período, Juno, esposa de Júpiter na mitologia romana, era homenageada, em celebrações conhecidas como Junônias.


Este período coincide também com as datas que homenageiam o nascimento de João Batista e de outros santos para a Igreja Católica, todos no mês de junho.

Como o catolicismo estava crescendo muito nessa época, a Igreja Católica oficializou as comemorações e deu a elas o nome de “Joaninas”, uma referência a João.


Como Portugal foi um dos primeiros países a adotar essas comemorações católicas, acabou trazendo a tradição para o Brasil, que até hoje mantém as festas, e por aqui receberam o nome de juninas.

Essas festas eram regadas com muitas comidas e bebidas, inclusive o vinho quente com suas frutas e especiarias.



Como fazer vinho quente? 9 receitas deliciosas!

Se você já pesquisou como se faz vinho quente, deve ter percebido que há várias receitas, algumas comuns e outras bem diferentes, e nós reunimos várias aqui neste conteúdo. Assim, você pode fazer todas e escolher a que mais lhe agrada!


1 – Receita de vinho quente tradicional

Ingredientes:

  • 1 litro de vinho tinto;

  • ½ colher (chá) de cravo-da-Índia;

  • 1 unidade de canela em pau;

  • 4 colheres (sopa) de açúcar;

  • 2 rodelas de laranja.

Modo de preparo:

Em uma panela, em fogo baixo, adicione todos os ingredientes. Quando a mistura começar a ferver, deixe cozinhar por cerca de 20 minutos e está pronto!


2 – Receita de vinho quente com abacaxi

Ingredientes:

  • 1 litro de vinho tinto seco;

  • 500 ml de água.

  • 2 xícaras (chá) de açúcar;

  • 3 unidades de cravo-da-Índia;

  • 4 colheres (sopa) de abacaxi picado;

  • 4 colheres (sopa) de maçã picada;

  • 4 colheres (sopa) de uvas passas;

  • 1 laranja descascada e picada.

Modo de preparo:

Se você estava em busca de como fazer vinho quente com maçã e abacaxi, essa é a receita ideal!

Coloque o açúcar em uma panela e leve ao fogo até caramelizar. Coloque a água e deixe derreter todo o açúcar. Depois, junte o vinho, os cravos-da-Índia, a canela, as frutas e as uvas passas. Deixe no fogo por 15 minutos e pronto!


3 – Receita de vinho quente com pimenta

Ingredientes:

  • 1 garrafa (750 ml) de vinho tinto seco;

  • 1 xícara (chá) de açúcar mascavo;

  • 1 maçã em cubos pequenos;

  • 1 ameixa em gomos;

  • Casca de 1 laranja;

  • Casca de ½ limão;

  • 6 cravos-da-Índia;

  • 2 pimentas Jamaica;

  • 3 cardamomos;

  • 3 grãos de pimenta-preta;

  • 1 pitada de sal.

Modo de preparo:

Derreta o açúcar em uma panela em fogo baixo. Quando derreter, adicione as especiarias, as cascas e a pitada de sal. Em seguida, acrescente o vinho, o que fará o caramelo endurecer na hora.

Deixe ferver até o caramelo derreter, adicione as frutas e mantenha fervura por mais um minuto. Pronto!


4 – Receita de vinho quente com baunilha

Ingredientes:

  • 750 ml de vinho tinto seco;

  • 100 g de açúcar mascavo;

  • Casca de 1 laranja;

  • 2 cravos-da-Índia;

  • 1 anis estrelado;

  • 2 sementes de cardamomo;

  • ½ fava de baunilha.

Modo de preparo:

Coloque o vinho em uma panela junto com o açúcar e todas as especiarias. Deixe levantar fervura e, depois, desligue o fogo e reserve por 12 horas para intensificar o sabor e o aroma; Na hora de servir, aqueça novamente e pronto!


5 – Receita de vinho quente com especiarias

Ingredientes:

  • 750 ml de vinho tinto seco;

  • Casca de ½ limão siciliano (apenas a parte amarela);

  • Casca de 1 laranja (apenas a parte laranja);

  • Suco de 2 laranjas;

  • 200 g de açúcar;

  • 2 paus de canela;

  • 5 cravos-da-Índia;

  • ½ flor de anis-estrelado;

  • 75 ml de rum ou cachaça envelhecidos.

Modo de preparo:

Coloque todos os ingredientes, com exceção do rum, em uma panela, e leve ao fogo. Assim que começar a ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhar lentamente por aproximadamente 15 minutos.

Com uma concha, remova a espuma formada na superfície. Passe a bebida quente por uma peneira e, em seguida, adicione o rum. Mantenha quente para servir e está pronto!


6 – Receita de vinho quente sem açúcar

Ingredientes:

  • 400 ml de vinho tinto;

  • 1 maçã cortada em cubos pequenos;

  • 1 xícara (chá) de suco de laranja sem açúcar;

  • 1 porção de canela em pau;

  • 3 unidades de cravo-da-Índia;

  • 4 colheres (sopa) de adoçante para forno e fogão.

Modo de preparo:

Misture o vinho com o suco de laranja, o adoçante, a canela e os cravos-da-Índia e coloque tudo em uma panela em fogo baixo. Quando levantar fervura, adicione a maçã e deixe mais 10 minutos, ainda em fogo baixo. Então, é só servir quente!


7 – Receita de vinho quente sem álcool

Ingredientes:

  • 2 litros de suco de uva integral;

  • 1 kg de açúcar;

  • Gengibre a gosto;

  • Cravo a gosto;

  • Canela a gosto;

  • 3 maçãs cortadas em cubos pequenos;

  • 1 lata de pêssego em calda, com os pêssegos cortados em pequenos cubos.

Modo de preparo:

Bata o gengibre com um pouquinho do suco de uva no liquidificador. Depois, derreta o açúcar até caramelizar em fogo baixo. Acrescente a mistura com o gengibre, o cravo e a canela, sem parar de mexer, e coloque o restante do suco de uva.

Quando levantar fervura, adicione as frutas e deixe ferver até que elas estejam bem cozidas. Sirva bem quente e está pronto!


8 – Receita de vinho quente com vinho branco</