Até prefeitos paranaenses estão sendo alvos do “golpe da vacina”

Por Paulo Tertulino - Blogueiro


A imensa maioria da população vive a expectativa para ser vacinada. Os golpistas mais que depressa estão aplicando o “golpe da vacina”, revela reportagem publicada no site G1/PR nesta quinta-feira. A abordagem é feita por e-mail, telefone, nas ruas e até em residências, oferecendo o imunizante.

A reportagem cita como exemplo a “visita” que uma família recebeu em Cornélio Procópio de supostos agentes de Saúde. Os falsários alegaram que, como a Prefeitura está com dificuldades para comprar a vacina, seria preciso pagar certa quantia. Alguém da casa desconfiou da conversa e telefonou para a Secretaria Municipal da Saúde. E recebeu a informação de que vacinação domiciliar ocorre sim, nos casos em que a pessoa tenha séria dificuldade de locomoção, mas descartou qualquer exigência de pagamento. A vacina é gratuita.

O Gaeco investiga casos em que prefeitos foram contatados por supostos representantes de farmacêuticas oferecendo lotes de vacinas, para entrega imediata. A exigência para fechar o “negócio”? Pagamento antecipado de 20% do valor da compra. Portanto fiquem atentos. Vacinação é feita de acordo com o calendário estabelecido pelas respectivas secretarias municipais de Saúde. E a compra de vacinas pelas prefeituras só pode ser feita com autorização da Anvisa.

A malandragem não dorme no ponto e não respeita a quarentena.