A quatro jogos do tetra.

Por Walber Guimarães Junior, neste texto atendendo por Clodoaldo NeiZito Arantes do Nascimento.

Era apenas um bando de garotos, que também atendem pela alcunha de meninos da Vila.

Apanharam como gente grande no templo do futebol, o Maraca.

Ficamos tristes? Lógico que não. Não podemos ganhar tudo então queremos o tetra da liberta mesmo que isto custe todos os demais troféus cujas réplicas se acumulam nas prateleiras mais gloriosas do futebol brasileiro.

Sim, porque mais que dois mundiais, três libertadores, um monte de copinhas e paulistas, nenhum rebaixamento e, morram de inveja, temos Pelé e Neymar.


Azar do Grêmio que está em nosso caminho. Pouco importa que o elenco deles é mais estrelado que não perdem a trozentos jogos. Tabus são feitos para se quebrar.

E, nossos rivais da freguesia paulistana, sabem que jogar na Vila faz as pernas de simples mortais tremerem. Contemplar o palco mágico de Pelé os torna menores e garotos, apenas garotos, se agigantam com o manto sagrado.

Esta quarta feira pode testemunhar mais um milagre do futebol. Pepe, Zito, Mengálvio, Clodoaldo e tantos outros mitos do nosso futebol estarão inspirando nossos garotos.

Depois do Grêmio, só gringos, melhor ainda pra nós (aquele time sem copinha apenas espera o morre morre ideal pra encerrar sua participação).

5 visualizações
banner_anuncie (1).png