81 entidades médicas defendem distanciamento social, vacinas já e lançam comitê para monitorar Covid

Aida Franco de Lima – Professora universitária. Dr.ª e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), Jornalista e Especialista em Educação Patrimonial (UEPG - PR); Guia Especializada em Atrativos Turísticos Naturais (SENAC - EMBRATUR);Técnica em Vestuário (CEEP - PR); escritora (Série: Guardador de Palavras da Gabi).



Em Teresina, um paciente morre recebendo atendimento no chão da UPA, por conta da falta de leitos para internação, no dia 17 de março (Foto: Iconografia da História)


"Nós médicos, por ética, retidão e compromisso com os pacientes, dizemos claramente à Nação: o controle da situação nos foge às mãos, pois não estão sob nosso comando as ações e nem a gestão da saúde." Esse é um dos trechos do documento denominado CARTA DOS MÉDICOS DO BRASIL À NAÇÃO, que faz um apelo aos brasileiro e às lideranças de modo geral. Assinada por um total de 81 entidades, de todo o Brasil, o manifesto é datado de 15 de março, momento em que o Brasil presencia um colapso, uma espécie de 'apagão' na maioria de suas UTIs - Unidades de Terapia Intensiva, com pacientes de Covid-19 morrendo na fila de espera. Em poucos dias o Brasil deve atingir o número oficial de 300 mil mortos, excluindo outros números de vítimas fatais de doenças respiratórias e outros casos não identificados como Covid-19, visto a escassez de testes. Apesar da gravidade da situação, INACREDITAVELMENTE, em virtude de ideologias políticas, há inclusive alguns médicos que negam a gravidade da mesma! E o que dirá do cidadão comum, que vai 'na onda' de notícias falsas e correntes do WhatsApp?


É nosso mais grave momento dessa emergência em saúde coletiva. A Covid-19 se mantém em ascensão e todos os números e carências tendem a piorar, se não houver uma resposta firme e coordenada. O Brasil requer união de suas inteligências, da soma de conhecimentos científicos, de estratégias unificadas e ação imediata. Não pode prevalecer a máxima do cada um por si.

Na Carta é informado a respeito da criação do Comitê Extraordinário de Monitoramento Covid-19 (CEM COVID_AMB).Composto pela Associação Médica Brasileira, com suas 27 federadas estaduais, e pelo conjunto das suas 54 sociedades de especialidades do País.


"O CEM funcionará em regime permanente, enquanto durar a crise. Terá um núcleo executivo formado por médicos com legítima autoridade no campo da prevenção e da atenção aos pacientes acometidos pela doença. Monitorará permanentemente a pandemia em todo o território nacional e as ações dos órgãos responsáveis pela saúde pública, com o intuito de consolidar informações e, a partir de cenários atualizados, transmitir orientações periódicas de conduta para cuidados e prevenção aos cidadãos e aos profissionais da Medicina."

PREVENÇÃO

"O remédio indispensável agora é a visão cidadã", alertam os médicos, sobre a necessidade das medidas preventivas de combate à doença. Também questionam a falta de comprometimento dos órgãos responsáveis em torno de vacinas suficientes e urgentes para a população.


"Precisamos de certezas. Não podemos viver de estimativas que não encontrem respaldo na realidade. Precisamos saber exatamente quantas doses de vacinas teremos e quando efetivamente elas serão disponibilizadas para a população. Um vai e vem de informações desencontradas, uma dança de números de eventuais lotes de vacinas que deverão chegar e depois não chegam só leva ao descrédito das autoridades de saúde e a desalento na população. Soluções concretas, e não promessas vazias, é o que precisamos. E já!"



"Nosso diagnóstico é de que apenas a obediência às regras de proteção - como o distanciamento social e o uso correto de máscara -, as iniciativas contínuas de testagem e rastreio de contactantes, juntamente com a vacinação em larga escala, são capazes de oferecer melhor prognóstico à população brasileira", frisa o documento. De acordo com o documento, a vacinação em massa, para todas as pessoas, é a medida ideal para controlarmos a velocidade de propagação do vírus. Entretanto, é impossível afirmar, nesse instante, em que momento isso ocorrerá. Diante de tal quadro, o distanciamento social, com a menor circulação possível de pessoas, é conduta essencial para conter a propagação viral. Portanto, a única alternativa é a prevenção, através de medidas essenciais, sendo elas:


A) Uso correto de máscara - sempre

B) Distanciamento social

C) Evitar aglomerações

D) Manter o ambiente bem ventilado e higienizando

E) Ficar em isolamento respiratório assim que houver suspeita de Covid-19

F) Higienizar frequentemente as mãos, com água e sabão ou álcool gel a 70%


"Vacinas já. Essa é a ideia que deve unir e reunir todos os brasileiros, em um só coro, de mãos dadas. Juntos, precisamos trabalhar urgentemente pela revisão de caminhos e prioridades."

"Conclamamos, portanto, o cidadão a assumir sua responsabilidade e a atuar pela ampla conscientização. O isolamento e uso de máscaras, repetimos, podem ser o diferencial para salvar a vida de avô, avó, pai, mãe, ou do filho, ou do amigo."

Por conta das inúmeras mentiras espalhadas a respeito da Covid-19, o manifesto médico pede ajuda para que cada profissional ajude a combater as fake news, que tem conduzido tantas pessoas ao contágio.

"Diante do quadro de dificuldades e incertezas, também conclamamos cada um dos médicos do Brasil a ser um agente multiplicador da Medicina de excelência e da Ciência junto a todos os pacientes, aos colegas de trabalho e em seus círculos familiares e de amizades. Desmentir fake news e reforçar a relevância das regras de prevenção devem ser tarefas diárias. Assim também salvamos vidas."

Assinam o documento as seguintes entidades:

Academia Brasileira de Neurologia

Associação Brasileira de Alergia e Imunologia

Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica

Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular

Associação Brasileira de Medicina de Emergência

Associação Brasileira de Medicina de Tráfego

Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação

Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas

Associação Brasileira de Medicina Preventiva e Administração em Saúde

Associação Brasileira de Nutrologia

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial

Associação Brasileira de Psiquiatria

Associação de Medicina Intensiva Brasileira

Associação Médica Homeopática Brasileira

Associação Nacional de Medicina do Trabalho

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva

Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Colégio Brasileiro de Radiologia

Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura

Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia

Federação Brasileira de Gastroenterologia

Sociedade Brasileira de Anestesiologia

Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular

Sociedade Brasileira de Cardiologia

Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão

Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica

Sociedade Brasileira de Clínica Médica

Sociedade Brasileira de Coloproctologia

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva

Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Sociedade Brasileira de Infectologia

Sociedade Brasileira de Mastologia

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte

Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear

Sociedade Brasileira de Nefrologia

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia

Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Sociedade Brasileira de Patologia

Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial

Sociedade Brasileira de Pediatria

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Sociedade Brasileira de Radioterapia

Sociedade Brasileira de Reumatologia

Sociedade Brasileira de Urologia

FEDERADAS AMB

Associação Médica do Acre

Sociedade de Medicina de Alagoas

Associação Médica do Amazonas

Associação Médica do Amapá

Associação Bahiana de Medicina

Associação Médica Cearense

Associação Médica de Brasília

Associação Médica do Espírito Santo

Associação Médica de Goiás

Associação Médica do Maranhão

Associação Médica de Minas Gerais

Associação Médica do Mato Grosso do Sul

Associação Médica do Mato Grosso

Sociedade Médico-Cirúrgica do Pará

Associação Médica de Pernambuco

Associação Piauiense de Medicina

Associação Médica da Paraíba

Associação Médica do Paraná

Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro

Associação Médica do Rio Grande do Norte

Associação Médica de Rondônia

Associação Médica de Roraima

Associação Médica do Rio Grande do Sul

Associação Catarinense de Medicina

Sociedade Médica de Sergipe

Associação Paulista de Medicina

Associação Médica de Tocantins


NÚCLEO EXECUTIVO - CEM COVID_AMB

• Antonio Carlos Lopes, Sociedade Brasileira de Clínica Médica • Bruno de Lima Naves, Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular • Carlos André Uehara, Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia • César Eduardo Fernandes, Associação Médica Brasileira • Clóvis Arns da Cunha, Sociedade Brasileira de Infectologia • Dante Mário Langhi Júnior, Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e TerapiaCelular • Emanuel Savio Cavalcanti Sarinho, Associação Brasileira de Alergia e Imunologia • Hélio Penna Guimarães, Associação Brasileira de Medicina de Emergência • Irma de Godoy, Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia • José Eduardo Lutaif Dolci, Associação Médica Brasileira • José Luiz Gomes do Amaral, Associação Paulista de Medicina • Suzana Margareth Ajeje Lobo, Associação de Medicina Intensiva Brasileira • Zeliete Linhares Leite Zambon, Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade




















62 visualizações
banner_anuncie (1).png